Mãe confessa que matou o filho por não suportar mais as agressões dele, em Rio Verde

 
Isolita Nunes Barcelos, de 55 anos, confessou na tarde desta quarta-feira (16), na Delegacia de Polícia Civil de Rio Verde de MT/MS que ela atirou e matou seu próprio filho Talles Nunes Barbosa, de 23 anos, por volta de 15h30min no último sábado (12), na residência da família, localizada rua Armando Sebastião Martins, bairro Santa Terezinha, em Rio Verde.
 
Durante uma entrevista exclusiva ao Coxim Agora Isolita contou que Talles era usuário de drogas e tinha problemas psiquiátricos, além disso, no dia do crime ele a agrediu e agrediu sua esposa que esta grávida de quatro meses. Barbosa jurou toda a família de morte e disse que iria cometer uma chacina que o tornaria famoso em todo o país.
 
Por não suportar mais as agressões do filho e para não o ver ser morto como bandido, em uma ação desesperada Isolita pegou a arma que ela havia escondido de Talles e realizou vários disparos contra ele, ao todo foram cinco. Isolita disse que amava muito o filho, mas neste dia ela estava bastante abatida e perdeu o controle.
 
Momentos antes do crime, Talles teria arremessado um ventilador contra a sua mãe e ameaçou ir pra cima de um sobrinho que é deficiente físico.
 
Isoleta ficou revoltada com a situação e atirou contra Talles, que tentou correr, mas foi atingido nas costas e na cabeça. Ele chegou a entrar na sala da casa, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no local.
 
Durante a entrevista a mãe desabou e falou que pediu ajuda a diversas autoridades para internar o filho, mas que ninguém a ouviu e que ela não teve saída, antes que acontecesse algo pior ela tomou a atitude.
 
A nossa reportagem conversou também como o delegado responsável pelo caso, Eder de Oliveira Morais e conforme o inquérito policial há possibilidade de outras duas pessoas da família terem participado do homicídio. De acordo com o documento, a vítima pode ter sido alvejada por duas armas, uma de calibre 22 e outra de calibre 38, esta hipótese esta sendo investigada e Oliveira aguarda o resultado da Necropsia realizada pelos Peritos do Núcleo de Perícias de Coxim.
 
Isolita disse ainda que após cometer o crime ela mesma acionou a Polícia Militar (PM) de Rio Verde e em seguida evadiu-se para o município de Bandeirantes, onde entrou em contato com sua advogada e amiga da família Rafaela Cristina de Assis Amorim, que tentou apresentá-la em Bandeirantes, mas a cidade se encontra sem delegado, motivo que levou a autora se apresentar em Rio Verde.
 
Eder explicou ainda que foi divulgado que Talles havia sido morto por seu padrasto, mas,  que Isoleta não possui companheiro e que o crime esta sendo investigado. Isoleta vai responder pelo crime em liberdade.
 
page

Coxim Agora

 
 
 
 
jangada
Novo Horizonte do Sul, Quinta-feira, 24 de Julho de 2014

Publicidades

 
 
 

Contador de Visitas

1861412
Hoje
Ontem
Esta semana
Semana passada
Este mes
Mes passado
Total
6717
6344
20064
1793393
176451
293975
1861412

Seu IP: 54.197.108.124
Data/horar: 2014-07-23 22:19:31